Defesa de dissertação (28/04/2021): Leonardo Ferreira dos Santos

Discente: Leonardo Ferreira dos Santos

Título: Identificação automática de atividade predatória sexual em conversas virtuais no Brasil

Orientador: Gustavo Paiva Guedes e Silva

Banca: Gustavo Paiva Guedes e Silva (presidente), Eduardo Bezerra da Silva (CEFET/RJ), Eduardo Soares Ogasawara (CEFET/RJ), Ronaldo Ribeiro Goldschmidt (IME)

Dia/Hora:  28 de abril de 2021, às 14h.

Sala remota: http://meet.google.com/vtf-bmvn-frp

Resumo:  O uso da internet por crianças e adolescentes possibilita o acesso a um conjunto de oportunidades para o seu autodesenvolvimento. O acesso à informação, material educacional, entretenimento e socialização são algumas das oportunidades que podem ser usufruídas. O uso de redes sociais é um dos principais canais para socialização na internet. Por meio da criação de um perfil público no momento de ingresso à rede social, crianças e adolescentes podem criar conexões com outros perfis e estabelecer comunicação por meio de conversas virtuais. Predadores sexuais, por sua vez, fazem uso de redes sociais com o propósito de ludibriar essas crianças e adolescentes, estabelecendo uma relação enganosa para posterior execução de diversas atividades criminosas, como a obtenção de conteúdo pornográfico, a extorsão e a prática do abuso sexual. Nesse cenário, diversos estudos vêm se concentrando na identificação de predadores sexuais na internet. Embora seja um domínio de pesquisa amplamente explorado, não foram encontrados trabalhos que considerem o estudo de conversas virtuais realizadas na língua portuguesa do Brasil. Diante do problema exposto, a presente pesquisa tem como o principal objetivo propor um método que apresente resultados significativos para a identificação de atividade predatória em conversas textuais realizadas na internet. Para atingir esse objetivo, foi considerado como base de estudos um conjunto de 82 conversas predatórias anonimizadas e oriundas de provas criminais presentes em processos judiciais. Após a análise das conversas predatórias, um total de dezenove características textuais e comportamentais foram identificadas e consideradas para a criação de um método para detecção de atividade predatória em conversas textuais denominado MDAP. Para a validação do método, foi criado um conjunto de dados com características similares as da competição PAN-2012, utilizando como base as 82 conversas predatórias. Os resultados obtidos, quando comparados aos métodos candidatos ao estado da arte para o domínio da pesquisa, comprovam a eficiência do método MDAP para a identificação de atividade predatória em conversas textuais, se apresentando como uma alternativa para promoção de um ambiente virtual mais seguro para crianças e adolescentes.

Comments are closed.