Inserção Social

O PPCIC visa à formação de recursos humanos qualificados na área de Ciência da Computação enfatizando a Ciência de Dados. Em particular, visa à formação de pesquisadores capazes de resolver problemas do mundo real que estabelecem um ciclo virtuoso entre as pesquisas aplicada e básica. Essa abordagem apresenta forte interação com a sociedade. Neste cenário, o PPCIC apresenta-se como o primeiro programa de pós-graduação stricto sensu do Brasil com o foco em Ciência de Dados. Isso abre um espaço de destaque do CEFET/RJ no cenário brasileiro nesse domínio o que traz oportunidades de estabelecer várias parcerias e ações que aumentem a inserção social do Programa.

Além das ações na área de educação básica, descrita na próxima seção, o PPCIC procura estreitar os laços com diversas instituições de áreas de aplicação visando desenvolver soluções que as apoiem. Atualmente fazemos parte da equipe de referência do projeto de Ciência de Dados aplicadas a Saúde da Fiocruz (http://bigdata.icict.fiocruz.br), por exemplo, de modo a fornecer arcabouços computacionais de apoio ao processo de gerência e análise de dados relacionados a saúde.

Outra ação mais geral consiste na organização de eventos abertos à comunidade, em eventos anuais, como a Semana de Ensino, Pesquisa e Extensão e semanais, como os seminários da Escola de Informática & Computação, onde são apresentadas diversas palestras na área da computação, tanto de teor acadêmico quanto de teor empreendedor e mercadológico. Iniciativa semelhante ocorre em Petrópolis, onde há a Semana de Engenharia de Computação, onde são oferecidos mini cursos, palestras, mesa-redonda sobre diversos temas de computação, ofertados por docentes da instituição, membros externos e por profissionais de empresas do ramo.

Interfaces com a Educação Básica

Por formação, o PPCIC foi construído de modo a interagir com a educação básica, uma vez que parte da sua base de docentes atua também no ensino médio-técnico. Destaca-se ainda, a interação promovida por pesquisas voltadas ao ensino realizadas na linha de de Gerência de Dados e Aplicações. Os artefatos computacionais produzidos visam fortalecer o aprendizado tanto no ensino de computação, quanto na educação básica. Ainda, ações no sentido de avaliar o resultado dos artefatos produzidos estão em andamento por meio de interações com instituições públicas de ensino fundamental e médio do município do Rio de Janeiro. Estas ações já ocorrem em diversos trabalhos de conclusão de cursos e artigos científicos com este viés. Destacam-se os últimos quatro artigos científicos publicados no Simpósio Brasileiro de Informática na Educação.

  • Honorato, E.; Schocair, C.; Quadros, J. R. T.; Castaneda, R.; Soares, J.; Ogasawara, E.. Explorando uma Aplicação m-learning para Ensino de Vetores na Física do Ensino Médio. Em: Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2015.
  • Gomes, W., Castro, P., Cardoso, E., Malheiro, M., Castaneda, R., Guedes, G. P., Mauro, R., Ogasawara, E., Provendo um Serviço Web para Interação e Coleta de Dados de Aplicativos Educacionais. Em: Anais do Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2015
  • Alves, G.; Warley, P.; Quadros, J.R.T.; Lignani, L.; Ogasawara, E.. ControlHarvest: Ensino de Ecologia por Meio de Gamificação do Controle Biológico. Em: Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2014.
  • Paschoal, L., Bento, T., Velasco, T., Schocair, C. O., Castaneda, R., Oliveira, T., Ogasawara, E., JOE: Jogo Ortográfico Educacional. Em: Simpósio Brasileiro de Informática na Educação, 2014.

Todos estes artigos têm ligação com a educação básica, uma vez que se tratam de aplicativos que fortalecem o aprendizado dos conteúdos abordados e, ao mesmo tempo têm ligação com a Ciência de Dados, especialmente por meio das análises estatísticas das avaliações dos artefatos produzidos.

A interação se amplia com o ensino fundamental por meio de parcerias com escolas do município do Rio de Janeiro. Um exemplo disso é o projeto-piloto no GEO (Ginásio Experimental Olímpico) de Santa Teresa, onde docentes do PPCIC estão trabalhando, em conjunto com professores do ensino fundamental, no ensino-aprendizagem de robótica. Essas ações promovem maior inclusão social e ao mesmo tempo servem como elemento motivador a que estes estudantes considerem a Computação como potencial carreira para seguir os estudos no ensino médio-técnico ou na graduação.